Entidade O Samaritano está precisando de ajuda. Colabore!

27/03/2017 - 14:16:28
Por: DEBATE NEWS

Sérgio Fleury Moraes
De Jornal Debate

 

Mesmo quem não conhece o trabalho da entidade assistencial “O Samaritano”, de Santa Cruz do Rio Pardo, certamente percebeu nos últimos dias a redução de andarilhos pedindo dinheiro em avenidas e praças da cidade. O movimento maior, que incomodava motoristas e o comércio da região, acontecia no semáforo da avenida Coronel Clementino Gonçalves. A entidade acolheu vários desses andarilhos, que já estão em tratamento. “Não vieram todos, mas quando o grupo é disperso, os outros costumam ir embora”, diz o presidente da entidade, Jacks dos Santos, 41. O problema é financiar este trabalho, já que a “Samaritano” sempre enfrenta problemas financeiros.
A comunidade “O Samaritano” existe há menos de dois anos, mas o número de acolhidos cresce a cada dia numa cidade onde não existe nenhum tipo de albergue municipal. Hoje, são 55 pessoas, entre usuários de drogas, idosos e abandonados.
Segundo Jacks, atualmente existem três unidades da entidade para acolher moradores de rua, duas na cidade e uma terceira na zona rural, onde os internos desenvolvem trabalho na lavoura, no bairro Caetê — antigo sítio “Ouro Verde”. A “sede” fica na vila Fabiano, mas o grupo alugou as dependências da antiga “Pensão da Edna”, na rua Marechal Bitencourt, para expandir o atendimento.
A história de “O Samaritano” começou com uma conversão religiosa de Jacks há algum tempo, quando ele abandonou um estilo de vida irregular para se dedicar à evangelização e auxiliar moradores de rua. Hoje, é pastor evangélico.
No início, Jacks e a mulher, Cláudia Dias, passavam as madrugadas distribuindo alimentos e roupas a moradores de rua. “A gente levava o necessário, mas com o tempo descobri que eu voltava para casa e eles ficavam no relento ou na chuva. Aí tive a ideia de abrir uma casa para acolher todo este pessoal”, contou.

O local, nesta época, foi totalmente improvisado, na antiga lanchonete que pertenceu ao pai, nas imediações do ginásio de esportes. Claro que bastou pouco tempo para perceber a necessidade de encontrar um espaço maior.
No início, os acolhidos são “pacientes” e permanecem em tratamento antes de trabalhar. “Fazemos um trabalho com todos aqueles que têm problemas com drogas e isto dura quatro meses. Depois, procuramos colocá-los no mercado de trabalho”, conta Jacks. Ele cita, orgulhoso, muitos casos de recuperação, como um ex-andarilho que hoje trabalha em Sorocaba numa grande empresa, com carteira assinada. “Ele nos visita todo mês”, conta.
Os recuperados que permanecem em Santa Cruz passam constantemente por avaliação psicológica e são, inclusive, medicados. Muitos hoje prestam serviços de limpeza de terrenos e pequenos reparos. Outros, entretanto, estão acamados e alguns até impossibilitados de andar.
Jacks já passou por momentos difíceis, principalmente quando a dispensa da casa ficou vazia. “Mas Deus sempre manda a providência”, garante. A “sede”, por exemplo, está necessitando de alimentos de todos os tipos. “Temos um consumo diário de 5 quilos de arroz e 2 de feijão somente nesta casa”, explicou.
Quem quiser fazer qualquer tipo de doação pode se dirigir à sede de “O Samaritano”, que fica na rua Evanira Chaves do Carmo, 76, na vila Fabiano. O telefone para contato é (14) 99824-7365

 

Veja Também

 

Parceiros

.

2010 - 2018 - Repórter Na Rua. Todos os direitos reservados