REPÓRTER NA RUA - Operação Paraíso termina com 14 presos, inclusive um empresário Santa-Cruzense.


Operação Paraíso termina com 14 presos, inclusive um empresário Santa-Cruzense.

12/10/2017 - 03:08:45
Por: REPÓRTER NA RUA

Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Avaré e Itapeva, no interior de São Paulo, do Centro de Operações Especiais da Polícia Civil do Paraná (COPE) e da 10ª Subdivisão Policial de Londrina, deflagraram na manhã desta quarta-feira (11) a Operação Paraíso, que prendeu 14 pessoas suspeitas de integrarem uma quadrilha especializada no roubo de defensivos agrícolas. Cerca de 80 agentes participaram da ação. Um dos presos, é o empresário Adenilson Bueno da Silva, 41 anos, que é proprietário da empresa 'Diagro', localizada na Avenida Pedro Camarinha, em Santa Cruz do Rio Pardo. Ele é suspeito de ser o receptador das mercadorias roubadas.

O esquema criminoso funcionava desde o fim do ano passado e possuía várias ramificações em cidades do interior de São Paulo, Norte e Norte Pioneiro do Paraná. Os mandados foram cumpridos em Santa Cruz do Rio Pardo, Londrina, Jaboti (PR), Piraju (SP) e Ibaiti (PR). As investigações começaram há três meses, depois que uma fazenda em Itapeva foi roubada. Na ocasião, os ladrões levaram produtos agrícolas, botinas e chapéus dos proprietários. Na delegacia, as vítimas descreveram as características dos assaltantes, o que ajudou a polícia a identificar outros roubos semelhantes praticados na região de Itapetininga.


De acordo com o delegado Aulo Fernandes, um dos responsáveis pela Operação Paraíso, a quadrilha era dividida em dois segmentos: receptadores e executores dos assaltos. Quatro integrantes do último grupo foram detidos em Londrina. Um deles é suspeito de integrar uma quadrilha de roubo a agências bancárias no Paraná. "A cidade abrigava o ramo mais perigoso. Eles iam nas fazendas, aterrorizavam os donos e transportavam os defensivos em um caminhão, também apreendido no curso das diligências. Estes materiais eram distribuídos ao restante da quadrilha", disse. 

Ao longo das diligências, diversos objetos levados das propriedades rurais, como TVs, celulares, joias e até um carrinho de bebê, além de armas de fogo e porções de maconha, foram apreendidos. Em apenas um dos roubos, registrado em Coronel Macedo (SP), a Polícia Civil estima que os bandidos tenham deixado um prejuízo de R$ 300 mil. "Fora os danos financeiros provocados em outros agricultores", ponderou Fernandes, que confirmou a prisão de empresários de Santa Cruz do Rio Pardo, Ibaiti e Jaboti.  Eles estariam recebendo a carga roubada para revender.

 

Vulgo 'Dinho':

O empresário Adenilson (Dinho) Bueno da Silva, 41 anos, que é proprietário da empresa Diagro, de Santa Cruz do Rio Pardo, já foi preso em outra ocasião por envolvimento no mesmo crime. Em novembro do ano passado, ele foi detido durante uma operação da Polícia Civil de Santa Cruz do Rio Pardo, que investigava ocorrências de roubos de agrotóxicos em fazendas e empresas da região. Segundo o delegado Renato Caldeira Mardegan, naquela época as  investigação já estava acontecendo há quase um ano após queixas de furtos de empresas do mesmo segmento, inclusive em Santa Cruz. “Se existem furtos é porque existem compradores e então começamos a investigação e chegamos a ele”, ressaltou. Na ocasião foi encontrado aproximadamente R$ 300 mil em produtos como fertilizantes, inseticidas, fungicidas, adubos foliares e pesticidas, todos fora da lei regulamentadora. “Ele fazia carimbos, etiquetas, adesivos e até comprou uma impressora para adulterar os lotes, datas de fabricação e validades. A empresa ainda usava acetona e algodão para retirar os dados originais dos produtos”, afirmou o delegado, durante entrevista na época da primeira prisão do empresário.

 

Com informações de: "Bond News, Dario Miguel e Repórter na Rua"

 

Parceiros

.

2010 - 2014 - Repórter Na Rua. Todos os direitos reservados