REPÓRTER NA RUA - OAB Marília apoia manifestação contra reforma da previdência


OAB Marília apoia manifestação contra reforma da previdência

17/12/2016 - 12:31:33
Por: assessoria

As comissões de Direito Previdenciário e de Assuntos Gerais relacionados ao INSS da OAB Marília - 31ª Subseção apoiam a “Manifestação Contra a PEC 287 – Reforma da Previdência” que está marcada para acontecer em diversas cidade do Brasil neste domingo (18), inclusive em Marília com concentração em frente ao Paço Municipal a partir das 15h.

Uma das principais mudanças é o estabelecimento da idade mínima de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem e tempo mínimo de contribuição de 25 anos. Essa regra valerá para homens com idade inferior a 50 anos e mulheres com menos de 45 anos. Para receber a aposentadoria integral - 100% do valor-, o trabalhador precisará contribuir por 49 anos.

Pelas regras em vigor, é possível pedir a aposentadoria com 30 anos de contribuição, no caso das mulheres, e 35 anos, no caso dos homens. Para receber o benefício integral, é preciso atingir a fórmula 85 (mulheres) e 95 (homens), que é a soma da idade com o tempo de contribuição.

O presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB Marília, doutor Gustavo Abib Pinto da Silva afirma que “é um verdadeiro absurdo o que estão querendo fazer e o povo tem que sair na rua contra este ato”. Ele afirma que as mudanças são incoerentes, inclusive enquanto discurso daqueles que prepararam a proposta: “o próprio presidente foi aposentado aos 51 anos de idade”.

Uma das organizadoras do evento, a advogada especialista em Direito Previdenciário, Marina Gerdully Afonso, convida a população a participar com faixas e cartazes. No local, ela diz que não será feita passeata, mas um ato para chamar a atenção contra a proposta de reforma da forma que está posta. “Queremos alertar a população e explicar os problemas que essa reforma representa”, fala.

Entre os pontos que os organizadores do ato em todo o Brasil chamam a atenção estão o fato de que a expectativa de vida do brasileiro é de 76 anos e o governo exigindo que o trabalhador pague pelo INSS por 49 anos para uma renda aproximada de 100%, o aposentado receberá somente 11 anos de aposentadoria.

Outro ponto é o argumento de que os brasileiros não vão ter saúde para trabalhar até os 65 anos, principalmente nas atividades pesadas. Além disso, pondera-se que a exigência de 49 anos para ganhar aposentadoria integral vai fazer com que muitos morram antes de se aposentar. Os problemas não param por ai, e serão discutidos no ato.

 

Parceiros

.

2010 - 2014 - Repórter Na Rua. Todos os direitos reservados